Quarta-feira, 28 de Novembro de 2007

MISTÉRIOS DA RINCHOA

A urbanização da Rinchoa, idealizada por Leal da Câmara e concretizada através da empresa por ele constituída "A Realizadora" tem particularidades de traçado que devem ser realçadas.

 Em 1944, quando do congresso de "Mem-Martins e Rinchoa-Mercês" foi aprovada uma recomendação para que fossem dados às "ruas, nomes de árvores e flores".

Esta resolução do congresso tem sido respeitada até hoje e a Rinchoa é talvez o único sitio de Portugal onde não se atribuem nomes de pessoas nem de datas à toponímia das ruas.

Quem sabe, fruto das conversas aos serões, no Casal Saloioi, entre Leal da Câmara e os seus amigos, pessoas estudiosos do esoterismo, na Rinchoa há ruas, com aspectos e nomes com um toque de mistério.

A Avenida dos Plátanos  tem plantados nas suas bermas trinta e três árvores daquela espécie e não foi por acaso porque há espaço suficiente para mais....

Num dos topos da Avenida dos Plátanos fica a Avenida dos Carvalhos, no outro a das Acácias e no meio formando a mais longa Avenida da urbe a dos Choupos.

Estes pormenores fazem da Rinchoa uma povoação singular: o seu nome, as ruas, e agora até a localização que possibilita aos seus moradores a utilizarem duas estações de caminho de ferro modernas e funcionais:

Meleças e Rio de Mouro.

E há quem não repare nisto...

Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 13:22
Link do post | Comentar | Ver comentários (5)
Sexta-feira, 23 de Novembro de 2007

OS PLÁTANOS DA VÁRZEA DE COLARES

Nas bermas da estrada de Colares, em particular na Várzea, junto à Adega Regional, existem numerosos plátanos de provecta idade e porte altivo que dão ao percurso um ar agradável em qualquer estação do ano.

 A  Adega Regional de Colares, foi instituída em 1930 como medida para se proteger a qualidade do vinho de Colares, que no dizer de Ferreira Lapa "era o vinho mais francês que possuíamos".No entanto, para aumentar a sua graduação os produtores misturavam-lhe aguardente transformando um bom vinho numa mistela...

 Ao tempo da construção da Adega já existiam os plátanos frondosos que hoje podemos admirar desde a ponte da Várzea até ao Banzão no caminho da "Praia". São exemplares centenários nos quais os automobilistas apressados nem reparam.

A sombra destas árvores protegeu a fermentação de muitos "caldos" de boas colheitas que estagiaram dentro da Adega. Merecem pois que brindemos à sua saúde esperando no futuro sejam devidamente apreciados.

Para isso no local deveria colocar-se um painel informativo, chamando à atenção para estas imponentes árvores.

Os plátanos da Adega Regional de Colares são um dos "monumentos vivos" que povoam o Município Sintrense.

Um verdadeiro ex-líbris da antiga e nobre Vila de Colares...

 

Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 16:17
Link do post | Comentar
Sexta-feira, 16 de Novembro de 2007

OS CEDROS DA QUINTA DE FITARES

 

A meio da Calçada da Rinchoa, saindo do jardim onde foi erguida a memória a Leal da Câmara existe um conjunto de cedros alguns dos quais têm mais de cento e cinquenta anos.

Os seus troncos estão parcialmente enterrados no talude levantado para suster as terras quando das obras da urbanização em 1974.

Esta alameda é o que resta da antiga entrada, da Quinta de Fetares , que no século XVIII, era um casal, pertencente há Vintana do Algueirão", como se pode ler nas Memórias Paroquiais de Sintra de 1758.

 

Fetares : terra de fetos, passou por corruptela oral a "Fitares", como hoje se designa um dos bairros da Rinchoa.

 

Perto destes cedros existia até aos princípios dos nos 70, uma vacaria, último vestígio do que teria sido o " Casal de Fetares " , ultimamente conhecido por "Casal da Serra".

Estes cedros, vetustas árvores, merecem ser preservadas porque sobre as suas ramagens muita gente já passou e muitos trabalhos se realizaram; à sua volta por acção do homem, construiu-se o que se vê...

Fazemos votos, para que continuem a resistir por muitos anos mais, neste caso pode aplicar-se a máxima "As Árvores morrem de pé".

Afinal temos património, é preciso é conhecê-lo...  

 

Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 12:48
Link do post | Comentar
Quarta-feira, 14 de Novembro de 2007

AS ÁRVORES NO OUTONO EM SINTRA

 

 Sintra é um local único e mágico...

 

Aqui o homem conseguiu como em poucos lugares do mundo um compromisso ideal entre a natureza e a acção humana.

Em todas as estações do ano Sintra oferece-nos cenários de beleza impar:

Na Primavera com as brumas os ventos e o verde da folhagem e as flores, fresca e fria no Verão com o murmurio das águas das suas fontes balsamo para os poderosos do reino que fugiam à canicula de Lisboa.

Mas é no Outono e no Inverno que Sintra nos recebe doce e amena, sendo esta época do ano aquela em que é a mais apetecivél desfrutar da sua traquilidade. Para muitos a rainha das estações do ano em Sintra é o Outono, quando pelas encostas da serra o amarelo dourado das folhas das arvores matiza a paisagem.

A luz do sol transparente e o ar quieto e fresco, transmitem-nos uma sensação de paz que convida à meditação; perante um quadro que só vendo se pode sentir. O Outono em Sintra é uma dadiva da natureza que se nos oferece, generosa e bela, como em nenhum outro sitio de Portugal.

Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 17:39
Link do post | Comentar | Ver comentários (2)
Terça-feira, 6 de Novembro de 2007

A SOBREIRA SECULAR DA RINCHOA

A Rinchoa é um dos locais mais apraziveis do concelho de Sintra. Apesar das "tropelias" urbanisticas mantem um encanto e uma atmosfera limpida e luminosa, que fizeram dela, durante decadas lugar de veraneio e repouso de muitos lisboetas.

Ainda há gente que recorda a pensão Maria Teresa, situada onde hoje está a agencia da Caixa Geral de Depositos, e desse tempo é também a Fonte do Rouxinol, que se abriga sob a ramada duma sobreira frondosa. Arvore que tem cerca de 200 anos e está localizada na Calçada da Rinchoa.

A Junta de Freguesia nos anos 90 do seculo XX, depois de termos chamado à atenção para este "monumento vivo", mandou construir um recinto para convivio e lazer junto ao seu admiravel tronco.

A sobreira da Rinchoa e o salgueiro ao seu lado formam um conjunto de arvores que pelo seu porte e idade têm de ser conhecido de todos. E serem classificados de interesse publico colocando-se junto a eles, informação que desperte a atenção dos transeuntes.

Os Rinchoenses merecem que seja preservada e protegida a sua secular sobreira porque é uma das memórias que restam do coberto florestal do sitio.

Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 14:47
Link do post | Comentar | Ver comentários (4)

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

" MEU " SECULAR CASTANH...

HOSPITAL DE SINTRA. "HOSP...

TROÇO "SECRETO" DO AQU...

ALMOÇO DE " EVITA " PÉRON...

TOPONÍMIA SINTRENSE - JAN...

AS " POMBINHAS " DA C...

"AVÔ" DOS PLÁTANOS DO MUN...

TRAGÉDIA NA ESCOLA DE AVI...

PREGOS "UP TO DATE" SEM...

POMBAL "MISTERIOSO".

Arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

tags

todas as tags

Favoritos

RESOLVER "ENIGMA" RELACIO...

BEM FADADO OU MAL FADAD...

Links sobre o autor

Fotografia do Cabo da Roca: Jason Weaver
blogs SAPO

subscrever feeds