Sexta-feira, 27 de Fevereiro de 2009

OS SOBREIROS EM SINTRA BELOS E IGNORADOS

O Sobreiro é uma árvore nativa da Europa e do Norte de África.Em Portugal abunda em diversas regiões sobretudo no Alentejo. No entanto na toponímia vamos encontrar evidência da sua presença em nomes como: SOBRAL, SOBREIRA, SOBRALINHO, SOBREIRAL... dispersos  por toda a geografia Lusitana. No começo da nacionalidade as matas de sobreiros eram muito extensas. O aproveitamento da sua lenha para a produção de carvão para aquecimento, e fabrico de sabão, a utilização da  madeira na construção de navios motivou o derrube dessas matas restringindo a sua importância quase só a extracção da cortiça. Esta obtém-se ao fim de algumas décadas de crescimento da árvore.

O sobreiro cultiva-se também como planta ornamental, em quintas, é possível encontrar exemplares com aspecto mais espectacular do que no estado de cultura silvestre.

Em Sintra o Sobreiro tem condições favoráveis para crescer de modo espontâneo e  vigoroso. Este facto complementado pela existência de Quintas, permite observar na região sobreiros seculares  de que já aqui falamos caso da SOBREIRA DOS FETOS.

No entanto na RUA TRINDADE COELHO, um pouco adiante do largo daquela, onde começa o CAMINHO DOS FRADES deparamos com vários indivíduos centenários exibindo a sua cortiça virgem. Um  tem um tronco gigante  encastrado no muro que circunda uma propriedade, no interior da qual se avistam sobreiros ornamentais de provecta idade.

Tudo isto a escassos  metros da muito visitada QUINTA DA REGALEIRA. Os sobreiros em Sintra não estão devidamente referenciados para  serem admirados pelos seus fustes envolvidos em espessa e rugosa  casca, eficaz agasalho nas nevoentas  frias noites de SINTRA.  

sinto-me:
Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 08:44
Link do post | Comentar
Terça-feira, 24 de Fevereiro de 2009

O PONTO MÉDIO DA ESTRADA NACIONAL Nº 2 E.N.2

No conjunto das estradas de Portugal há uma com uma aura "lendária" que a distingue de todas as outras, é a denominada estrada nacional nº2.

Várias particularidades contribuem para isso...

Foi projectada como ligação entre CHAVES e FARO com percurso pelo centro do País em situação equidistante do litoral e da fronteira. É a estrada nacional mais extensa, passa pelas cidades de Vila Real, Régua, Lamego,  Viseu, Abrantes e Faro. Na fase final do seu trajecto contém as celebres CURVAS DO CALDEIRÃO que até á década de 70 do século XX eram o caminho mais percorrido pelos automobilistas que rumavam ao Algarve. Entre Abrantes e Castro Verde a "NACIONAL 2" percorria um dos mais inóspitos recantos do Alentejo.

A E.N.2 tinha igualmente uma componente de estratégia militar, era uma estrada "especial", assim não admira que o marco quilométrico indicativo do quilómetro 300 tivesse sido executado de modo diferente. Está colocado no Concelho de Góis sensivelmente no ponto médio da ESTRADA. Tem inscrições em todas as quatro faces mas o musgo entretanto criado não permite ler. A Empresa Estradas de Portugal devia interessar-se pela conservação deste marco antes que seja destruído e se perca um raro testemunho que é mais um dos pontos de interesse da NACIONAL 2.


 

 

sinto-me:
Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 09:34
Link do post | Comentar | Ver comentários (4)
Domingo, 22 de Fevereiro de 2009

UM ADEUS A UMA VELHA ÁRVORE MORIBUNDA!

Num recôndito lugar  do Portugal profundo, esquecido e cada vez mais desabitado um velho carvalho ROBLE  agoniza. Conheço a árvore há algumas décadas. Por exames efectuados supõe-se ser  exemplar do século XII. Algum tempo, um grande incêndio destruiu  outros carvalhos adjacentes.

Este meu "AMIGO" sofreu danos de monta, sempre admirei o seu fuste grandioso em diversas ocasiões desfrutei da sua fresca e dilatada sombra.

Acompanho  o definhar do seu majestoso tronco, e tenho procurado passar de vez enquanto para ver o seu estado. A última vez constatei o seu aspecto   debilitado, o caule está mais apodrecido, como todas as velhas árvores também esta vai morrendo de pé. Quero partilhar com quem lê estes meus textos a mágoa de nada poder fazer para alterar o curso do inevitável. Deixo a imagem duma árvore, sinónimo de FORÇA, adorada em todas as antigas religiões como "divindade suprema do céu", já com os sinais duma evidente decadência.

A idade  secular deste "ROBUR" é mais um motivo para que vá  agonizando,  o  fim já se vislumbra . Na NATUREZA  tudo acaba. Não se deve "rezar" pelos vegetais, mas nada impede que  os que admiram e respeitam as árvores  se comovam  com o definhar dum GIGANTE COMO ESTE. Deixo o adeus sentido a uma ÁRVORE MORIBUNDA que  no término da sua existência continua sublime, como se fora um TEMPLO, grandioso e impressionante.

sinto-me:
Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 16:09
Link do post | Comentar | Ver comentários (1)
Quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009

O MEDRONHEIRO QUE CRESCEU NA CIDADE...

O medronheiro é um arbusto de folhas persistentes as quais se mantêm sempre verdes. Pode durar dezenas de anos e atingir o porte duma árvore. Designa-se em diversas zonas ervedeiro.

Em Portugal é espontâneo em zonas serranas, principalmente na Cordilheira Central nos Vales do Zêzere e Ceira e na serra de Monchique no Algarve, o seu fruto quando está maduro torna-se vermelho vivo e tem um sabor adocicado. Da sua destilação resulta a conhecida aguardente de medronho. Segundo alguns autores a origem do nome Madrid Capital de Espanha vem de MADRIL que significa medronhal.

Por razões desconhecidas alguém enterrou um pé de medronheiro trazido, talvez de alguma serra  beiroa... Por sorte não o confundiram com alguma erva daninha e não foi arrancado. O meio adequado permitiu uma boa adaptação, a planta cresceu,  hoje com cerca de 25 anos, atingiu uma dimensão assinalável.

Está plantado no canteiro junto à Calçada da Rinchoa no cruzamento  com a Praceta do Rouxinol, bem no coração da "cidade" sintrense. Na época em que os seus frutos vermelhos cobrem o chão muitos transeuntes se interrogam "QUE ÁRVORE SERÁ ESTA"?

O seu aspecto sempre verde, era para os antigos um símbolo de imortalidade...

Para quem passa talvez possa sugerir uma reflexão, lembrando que  não há muito tempo antes do homem ocupar o espaço para seu benefício, o sombreado verde dos medronheiros fosse uma das características da paisagem da Rinchoa, como demonstra este pujante MEDRONHEIRO.

 

 

sinto-me:
Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 00:33
Link do post | Comentar | Ver comentários (1)
Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2009

UM CARVALHO NEGRAL QUE SERVE DE ROTUNDA...

Comenta-se amiúde que alguns autarcas têm predilecção especial por fontes ornamentais e rotundas, daí existirem centenas de exemplos por todo o País. No entanto ainda é possível encontrar situações em que a função de rotunda é desempenhada  por  árvores, crescidas espontaneamente, em redor das quais se construiram estradas e caminhos cujos projectistas, aproveitaram a árvore para regulador do tráfego.

É este o caso dum magnifico exemplar de CARVALHO NEGRAL que cresceu no cruzamento da Rua do Rosmaninho com a Estrada do Parque no limite da Freguesia do Algueirão Mem-Martins, com a Rinchoa no concelho de Sintra.

A árvore de porte majestoso tem um tronco robusto,  por sorte ainda não  abalroado por um dos numerosos veículos que circulam na zona.

Não seria  dispendioso proteger o carvalho com um canteiro. Assim o exemplar ficaria mais reguardado e a sua utilidade  de "rotunda natural", seria devidamente salvaguardada. As árvores são um elemento cuja utilidade se manifesta das formas mais diversas. Infelizmente o seu maior predador é o homem...

No entanto, talvez seja viável  neste caso, demonstrar que nem sempre isso sucede. Esperemos que SIM.

sinto-me:
Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 10:00
Link do post | Comentar
Domingo, 8 de Fevereiro de 2009

A ACÁCIA E O "VENERÁVEL"

Na Volta do Duche em plena Vila de Sintra, um pouco adiante da FONTE MOURISCA, que a  vereação de 1982 mandou colocar no local, existe uma estátua erigida em memória do ilustre clínico Dr.Gregório de Almeida, conhecido pela sua competência e bondade.

Segundo José Alfredo da Costa Azevedo, no seu livro "A Vila Velha" (Ronda Pelo Passado pág.65), o Dr. GREGÓRIO DE ALMEIDA foi "venerável" da Loja Maçónica - "LUZ DO SOL", que existiu durante algum tempo em Sintra. Curiosamente por detrás da estátua cresceu uma acácia...

A acácia: "é um símbolo solar de renascimento e imortalidade". Nos rituais maçónicos conhecer a ACÁCIA significa que se tem a qualidade de "maçon". Sendo este o caso, nada mais apropriado de que terem plantado uma junto à estátua. Nesta como em outras ocasiões é preciso VER porque observar não chega.

É interessante notar, nas redondezas a única árvore desta espécie está aqui talvez lembrando, que só quem pratica o bem e defende a verdade merece  respeito e gratidão, como este, médico conhecido pelo, PAI DOS POBRES. 

sinto-me:
Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 21:39
Link do post | Comentar
Terça-feira, 3 de Fevereiro de 2009

O PINHEIRO MANSO DA ESTRADA DO MARQUÊS

Em plena urbanização do Bairro de Fitares na Rinchoa, um robusto e antigo Pinheiro Manso continua viçoso e com um belo aspecto vegetativo. Está numa artéria denominada Estrada Marquês de Pombal, por perto passar a via que no séculoXVIII ligava a Quinta de Oeiras com  a Granja dita  do Marquês, onde hoje funciona a Base Aérea nº 1. O pinheiro tem a altura dum prédio de quatro pisos, o seu tronco tem de perimetro três metros. Com estas caracteristicas é secular, as suas pinhas geram pinhões que servem de alimento ás muitas rolas que nele procuram poiso.

Esta notável árvore merecia ter uma envolvência mais cuidada para que todos reparassem no Monumento. Por certo sob a sua copa descansaram em tempos idos muitos viajantes. O local deveria ser muita passagem, porque depois de terem sido confiscada a GRANJA DO MARQUÊS foi instituida nos seus terrenos, uma Escola Agricola muito ferquentada por gente das redondezas. Era um estabelecimento de ensino modelar e avançado para a época. A velha Estrada Marquês de Pombal que atravessa, várias povoações dos concelhos de Oeiras e Sintra seria  o caminho calcorreado por muitos alunos. Quem sabe se alguns deles como os miúdos de agora também se distraíam a partir os pinhões que as pinhas largam?

 

sinto-me:
Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 21:36
Link do post | Comentar

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

Junho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
17
18
21
22
24
25
27
28
29
30

Posts recentes

HOSPITAL DE SINTRA. "HOSP...

TROÇO "SECRETO" DO AQU...

ALMOÇO DE " EVITA " PÉRON...

TOPONÍMIA SINTRENSE - JAN...

AS " POMBINHAS " DA C...

"AVÔ" DOS PLÁTANOS DO MUN...

TRAGÉDIA NA ESCOLA DE AVI...

PREGOS "UP TO DATE" SEM...

POMBAL "MISTERIOSO".

A PROPÓSITO DA IGREJA DE ...

Arquivos

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

tags

todas as tags

Favoritos

RESOLVER "ENIGMA" RELACIO...

BEM FADADO OU MAL FADAD...

Links sobre o autor

Fotografia do Cabo da Roca: Jason Weaver
blogs SAPO

subscrever feeds