Sexta-feira, 13 de Abril de 2012

MEMORIAL DAS CAUSAS PORQUE SECOU A FONTE PÙBLICA DA RINCHOA

O abastecimento de água no concelho de Sintra e designadamente na Rinchoa, somente foi resolvido depois de 25 de Abril de 1974, contrariamente ao que muitos opinam, a falta de água era um dos problemas da Rinchoa. Para ilustrar esta afirmação, atentem-se no que escreveu Leal da Câmara,em Setembro de 1944:

" Quando se abrem os jornais de Lisboa e se lêem, diariamente, os mais aflitivos pedidos de água, para as povoações,constata-se que a falta de água, em determinadas regiões é quasi normal e, devemos dar-nos quasi por felizes, quando em uma povoação ainda exista qualquer água que abasteça o público.

É o caso da Rinchoa, apesar de mal abastecida, possuía o precioso líquido que escorria da fonte pública, onde o povo ia com as suas bilhas, buscar a fresquíssima água que vinha canalizada em leito de telhas e pedras desde o seu longínquo nascimento, atravessando quintais particulares e descendo até à fonte, situada na parte mais baixa da velha povoação.

O tempo foi correndo e as rústicas canalizações iam-se partindo. Outras vezes, era uma pedra que desmoronava sobre o canal por onde corria a água, e esta não podendo deslizar, na sua tranquila marcha para a fonte, perdia-se pelas terras, formando, ela mesmo, novos canais e perdendo-se pelas ribanceiras próximas.

Nestes momentos, faltava a água na fonte pública gritava-se,e a comissão de iniciativa local, ia a Sintra reclamar prontas providências que eram, quasi sempre dadas pela mesma forma,mandando um cantoneiro sondar o canal por onde vinha a água e desentulhar o local onde alguma pedra tivesse desabado, impedindo o bom movimento do fio de água.

E a fonte pública, voltava a correr com aquele som cristalino e doce que o poeta Mayer Garção definiu - A tranquila música das fontes...

Isto acontecia sempre assim, excepto em anos de grande estiagem, como aconteceu há uns bons doze anos em que a água desapareceu, por completo, por mais sondagens que se fizeram. (grande seca ocorrida em 1932-1933, nota do autor).

Mas os moradores muliplicaram-se e, justamente na parte da Rinchoa por onde seguia o pequeno veio de água, cada qual fez o seu poço, colocando por cima deles um potente aeromotor que aspira a água e, houve até quem fizesse essa captação, tão perto do veio de água que abastece a fonte pública, que esta secou,por completo".

Este testemunho do grande impulsionador da expansão da Rinchoa demonstra que a água na Rinchoa era um bem escasso. Da localização da fonte resta uma rua com o nome RUA DA FONTE, inscrito numa placa, infelizmente vandalizada. Esta artéria liga a Calçada da Rinchoa com a Rua da Capela,

Mais uma "lenda" que se desfaz, tínhamos razão sobre a origem do topónimo Rinchoa quando escrevemos, no primeiro "post" deste já longo dialogo com quem nos visita, que o nome do nosso bairro não deriva do facto de ser um local de água abundante, pelo contrário. Não é a percepção que consolida uma ideia, mas sim o conhecimento, e este exige pesquisa e estudo,e são estes a base do que gostamos de partilhar convosco.

sinto-me:
Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 18:29
Link do post | Comentar

Mais sobre mim


ver perfil

seguir perfil

. 6 seguidores

Pesquisar neste blog

Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts recentes

SERRAS DAS MINAS; FREGUES...

INSIGNES QUINTAS COM NOM...

TOPONÍMIA SINTRENSE - GIG...

FEIRA DAS MERCÊS: TEMPO D...

FEIRA DAS MERCÊS HÁ SETE...

ÁRVORES NOTÁVEIS NO PARQU...

MOTIVO DE SATISFAÇÃO

SIGNIFICADO DO TOPÓNIMO ...

GUARDIÃO DA ALDEIA

AQUI OS PINHEIROS BRAVOS ...

Arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

tags

todas as tags

Favoritos

RESOLVER "ENIGMA" RELACIO...

BEM FADADO OU MAL FADAD...

Links sobre o autor

Fotografia do Cabo da Roca: Jason Weaver
blogs SAPO

subscrever feeds