Terça-feira, 28 de Outubro de 2014

Em louvor das árvores.

Árvores solenes e austeras silenciosas companheiras plantadas nas bermas dos caminhos, eu vos saúdo, e agradeço a sombra fresca que mitiga os calores estivais e  as folhas que pintam de tons púrpura e oiro os poentes rubros de Outonos caniculares. O balouçar lento da folhagem cadente arrancada dos ramos pelo sopro ventoso mensageiro da estação da invernia. Árvores símbolo de perenidade e estoicismo que morreis de pé, e estais sempre prontas para aturar lamentos e aceitar no vosso tronco os golpes dos devaneios amorosos de pueridades juvenis, sem alterar a majestade do vosso perfil. Árvores minhas amadas, quantos quilómetros percorri ao longo da vida só para admirar fustes grandiosos, e copas anchas como latadas pampinosas? Árvores de todas as espécies quando finalmente vos contemplava, emocionava-me por que Deus permitiu, admirar-vos: antigos carvalhos do Gerês ou a velhinha "carvalheira do presépio" em Castro Daire, castanheiro de Guilhafonso, Plátano de Portalegre ou o Pinheiro de São Bernabé nas serranias espanholas de Teruel e que já não existe, e muitos mais....

Hoje quero saudar em particular, o vigoroso freixo, plantado na orla do passeio de uma das artérias principais  do sítio onde moro, saudação especial porque em tempo houve quem afirmasse que estava doente e ameaçava  secar. Conseguimos provar que o problema se devia ao facto de o tronco no seu processo de crescimento,estar a ser estrangulado pelo muro adjacente, por essa razão  a seiva não  circulava, provocando a morte de alguns ramos, seria preciso derrubar parte do muro e dar mais espaço árvore. Felizmente, ouviram-me o freixo viçoso e pujante, continua a impressionar  quem o observa. A sua idade exacta, não sabemos, mas sem dúvida, é centenário. Resistiu ao ciclone, quem o terá plantado? O local deve ter sido escolhido por ser próximo da fonte onde os aldeões da Rinchoa se abasteciam de água.

 Os gregos consideravam o freixo um símbolo de grande solidez,esta característica ressalta quando admiramos este espécime.O freixo da Rinchoa,de folhagem sempre verde,parece garantir que o tempo primaveril nem sempre  acaba;o fuste  majestoso demonstra: aqui nunca foi subúrbio,e sim ao longo das épocas uma terra onde decorreu a vida de muitos homens e mulheres que nos legaram entre outros testemunhos, esta grandiosa árvore, e a certeza que onde existem árvores seculares são lugares com alma, e não periferias "desalmadas".

PA182701.JPG

 

PA182698.JPG

 

     

Publicado por Júlio Cortez Fernandes às 18:19
Link do post | Comentar
2 comentários:
De blackcrowes a 30 de Outubro de 2014 às 10:30
Descer a Calçada da Rinchoa ao fim do dia, com esta árvore secular em primeiro plano, e a nossa serra com o céu vermelho do por do sol por trás, é uma visão magnifica.
De Júlio Cortez Fernandes a 31 de Outubro de 2014 às 11:25
Estamos de acordo.

Comentar post

Mais sobre mim


ver perfil

seguir perfil

. 6 seguidores

Pesquisar neste blog

Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts recentes

INSIGNES QUINTAS COM NOM...

TOPONÍMIA SINTRENSE - GIG...

FEIRA DAS MERCÊS: TEMPO D...

FEIRA DAS MERCÊS HÁ SETE...

ÁRVORES NOTÁVEIS NO PARQU...

MOTIVO DE SATISFAÇÃO

SIGNIFICADO DO TOPÓNIMO ...

GUARDIÃO DA ALDEIA

AQUI OS PINHEIROS BRAVOS ...

LOUREIRO NO PARQUE

Arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

tags

todas as tags

Favoritos

RESOLVER "ENIGMA" RELACIO...

BEM FADADO OU MAL FADAD...

Links sobre o autor

Fotografia do Cabo da Roca: Jason Weaver
blogs SAPO

subscrever feeds