Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tudo de novo a Ocidente

UM CAMINHO DE ALMOCREVES REVELADO PELA TOPONÍMIA

Os Almocreves desempenharam durante séculos a importante tarefa de garantirem o abastecimento das populações e a circulação de noticias de umas terras para as outras.

Argola para prender mulas, ainda presente numa casa existente no Recoveiro.

(Argola para prender mulas - Recoveiro)

O transporte das cargas era feito por animais - mulas atreladas e conduzidas em grupos de várias unidades. A essa grupagem chamava-se "récua" era conduzida ou "tocada" pelo Almocreve também conhecido por "tocador".

No território sintrense a actividade dos almocreves era significativa. Pela análise de alguns topónimos podemos conhecer uma via utilizada para transito de "récuas".

A Ponte de Carenque,  a lomba da Bica da Costa com a sua fonte e bebedouro eram sítios de  passagem. Também Belas era uma paragem obrigatória. Passando aquela Vila, o trajecto seguia pela Serra da Carregueira, assim denominada porque o trilho dos caminhos resultava do CARREGO  das patas dos animais de carga.

 

Continuava pelo moinho da Mata Telhal até ao RECOVEIRO.

Outro nome atribuído aos Almocreves, dado sua actividade ser conhecida por recovagem. O recoveiro era um ponto de armazenagem de mercadorias. Este facto devia-se à localização num cruzamento de caminhos, e porque, nas imediações, se fazia o negócio do ATRAVESSAMENTO, o qual consistia em comprar as mercadorias antes de chegarem ao destino para especular. Apesar de estar regulamentado, o atravessamento era visto como uma ocupação fraudulenta,  pejorativamente  chamada de BARATARIA. Por isso surgiu  a BARATÃ a seguir ao Recoveiro.

Resta lembrar que este caminho era utilizado  para fazer chegar a Sintra os produtos vindos do sul com passagem  na barca de Vila Franca de Xira.

Ler a paisagem é fascinante...

 

5 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D