Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

O CAMINHO PARA AZENHA DA RIBEIRA DA LAGE

O carácter rural que durante séculos caracterizou as cercanias de Lisboa, deixou na toponímia marcas irrefutáveis. A pouco mais de 15 km do centro da capital, é possível encontrar sítios com relação directa a tarefas decorrentes da actividade agricola. No concelho de Sintra, junto a antiga estrada nacional, um pouco adiante da conhecida curva da CASA DOS VASOS, encontramos a direita um caminho com a designação SERVENTIA DA AZENHA.

Esta via permitia o acesso a uma das várias AZENHAS movidas pelas águas da Ribeira da Lage. Este engenho tinha uma mó, e a água motora da roda da azenha era conduzida através duma levada, construída ao longo da ribeira desde uma represa existente na Quinta da Presa (ou represa), situada no caminho entre RIO DE MOURO e as MERCÊS. É uma distância considerável, por isso a queda proporcionava uma força motriz, suficiente para movimentar a AZENHA mesmo com caudais reduzidos.

Como o trigo abundava na região a AZENHA deveria ser muito utilizada.

Ainda hoje  observando o carreiro não é difícil imaginar o moleiro tocando o burro carregando os sacos de "pão" para moer... 

É curioso notar que o termo Azenha é mais utilizado na zona sul de Portugal, no norte normalmente emprega-se o vocábulo MOÍNHO, como demonstrou o ilustre Professor L.CINTRA. Mais um motivo de interesse, porque deste modo estamos num local de transição entre o NORTE e o SUL de PORTUGAL. OUTRA singularidade deste, OCIDENTE. 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D