Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

O CARVALHAL DA QUINTA GRANDE DE MELEÇAS - SINTRA

A Quinta Grande é uma propriedade situada no lugar de Meleças, no concelho de Sintra. Era uma exploração agrícola de que se conhecem referências em documentos muito antigos. As suas terras produziam com abundância, por serem férteis, e disporem de água para regadio proporcionada pela Ribeira da Jarda que a atravessa.

A quinta foi urbanizada, restando da sua antiga função uma estreita faixa junto ao curso de água. Nesta zona são visíveis as ruínas dum forno destinado ao fabrico de cal. Para a cozedura do calcário o forno teria de ser aquecido com a queima de lenha, possivelmente obtida nas proximidades.

No local ainda se detectam  vistosos  sobreiros e carvalhos negrais de pequeno porte.

 

 

 

A avenida que termina na quinta  designa-se "dos carvalhos", reminiscência da existência, não há muito tempo de árvores daquela espécie. Quem sabe se alguma  lenha para o forno não seria cortada deste arvoredo?

Como testemunho dessa época resiste um  Carvalho de porte grandioso que descobrimos por acaso no local.O seu robusto tronco serve de suporte a rede dum galinheiro, instalado sob a sua copa. Ridícula utilização duma árvore notável. 

O  carvalho plantado na berma do caminho  perto do acesso à Estação Ferroviária de Meleças, do lado da Rinchoa, percorrido diariamente por centenas de pessoas apressadas, talvez por isso passe  despercebido.

Pela sua altura cerca de 15 metros e diâmetro do tronco, terá mais de 200 anos.Apesar de umas pernadas secas, o seu aspecto vegetativo é bom. 

Este "distinto" carvalho negral, sobrevive a curta distância duma grande urbe,  sendo um monumento deveria ser considerado de interesse público, para figurar num roteiro das ÁRVORES MONUMENTAIS de Sintra. Devido as suas grandes ramadas à sua folhagem espessa  o carvalho simbolizava um Templo vivo, porque  convida a permanecer e meditar sob a sua sua sombra. O carvalho era para os antigos, a ÁRVORE.

Quem sabe se este não será o derradeiro exemplar do que deve ter sido um frondoso carvalhal? Merece ser admirado e conhecido, deixamos por isso, registo para memória entretanto, é mais um motivo para frequentar um local de bucólica beleza antes que o "progresso" o confine a casario e a uma estação de comboios  na chamada, linha do Oeste Português. 

 

SINTRA QUE JÁ ERA REPUBLICANA ANTES DO 5 OUTUBRO 1910

Quando foi implantado o Regime Republicano, em muitas localidades de Portugal o poder pertencia a autarquias lideradas por autarcas Republicanos. No concelho de Sintra, as eleições de 1909 deram a vitória ao  Partido Republicano em diversas localidades. Uma delas foi Rio de Mouro, para a Junta de Paróquia.

O Código Administrativo, em vigor o de 1896 chamado "de Hintze Ribeiro" por ter sido promulgado durante o governo daquele politico estipulava:

"A junta de paroquia compõe-se de três vogais nas freguesias de população não excedente a 1000 habitantes e de cinco vogais nas de população superior".

Rio de Mouro tinha uma junta com o número máximo de vogais, presidia à junta  o Pároco, os vogais eram eleitos. As eleições deviam ser feitas no mês de Novembro, é curioso, faz agora 100 anos decorria, igualmente uma campanha autárquica. Uma das competências da Junta de Paróquia, referia-se ao "estabelecimento" ampliação supressão e administração de cemitérios fora da capital do concelho".

Este devia ser um problema a carecer de urgente resolução, a junta conseguiu soluciona-lo, conforme lápide existente no Cemitério local. Um dos mais influentes Republicanos, Cupertino Ribeiro proprietário em Rio de Mouro da fábrica de estamparia e, grande comerciante em Lisboa  deveria ter contribuído  para a realização da obra, porque foi feita por subscrição pública.

 

Politicamente, Rio de Mouro, teria um eleitorado propenso à mudança nas escolha dos seus  representantes. A República tomou o poder antes da revolução o alargar a todo Portugal. Passado um século, o pensamento de Magalhães Lima permanece actual:

"O que fui e o que sou é acima de tudo, um apaixonado do ideal republicano, e nesse sentido nunca hesitei ante qualquer sacrifício a fazer. Quero morrer digno de mim mesmo. Penso hoje como pensei sempre: que a República tem de ser servida com isenção e por isso lamento profundamente a vaga de ambições, de vaidades e de mercantilismo que ameaçam subverter a sociedade portuguesa, esperando na hora do meu desaparecimento poder repetir a celebre frase de Pericles dirigida ao seu batalhão sagrado «se alguém mudou, não fui eu».

A cidadania que a República sempre defendeu como imperativo, nunca como hoje precisa de ser exercida pela maioria dos portugueses que são Republicanos pois vivemos numa República e aceitamos as suas instituições.  

UM BELO TESTEMUNHO DE ARTE SACRA EM ALBARRAQUE-SINTRA

Albarraque é um lugar da Freguesia de Rio de Mouro no Município de Sintra. Tem o encanto das antigas Aldeias rurais e o seu centro histórico, de acordo com o regulamento do Plano Director Municipal em vigor, deve ser preservado. No casco antigo está a interessante ermida dedicada hoje em dia a Santa Margarida; todavia não terá sido sempre assim.

 Segundo Pinho Leal (1879)..."A formossíma aldeia de Albarraque a 3km de Rio de Mouro é povoação antiquíssima, tem uma nascente de águas férrea à qual se atribuem muitas virtudes terapêuticas. Não só por esta circunstância mas para gozarem os ares puros e a amenidade deste sítio vêm aqui passar a estação calmosa muitas famílias ricas de Lisboa. Nesta aldeia está...a capela de N.S.dos Aflitos a cuja padroeira se faz todos os anos uma festa sumptuosíssima.

A sagrada imagem do crucificado é de primorosa escultura e de um valor artístico inexcedível e os povos deste sítio lhe consagram grande devoção".  É uma bela representação de Cristo Crucificado executada em marfim sobre uma cruz de madeira, talvez de cedro, porque sendo daquela espécie nunca apodrece nem se corrompe. A escultura impressiona pela perfeição e profunda religiosidade que dela emana, à esquerda com o seu manto vermelho está a imagem do orago Santa Margarida. Todo o conjunto é um valioso exemplo do património da nossa Terra.

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D