Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

MATRIZ DE ALMARGEM DO BISPO UMA DAS MAIS SUMPTUOSAS IGREJAS RURAIS DE PORTUGAL

O que resta da ruralidade antigamente caracterizava o Município de Sintra,predomina ainda hoje, nas cercanias da aldeia de Almargem do Bispo , a beleza campestre dos campos e prados rodeiam a localidade,são espécie de " véu " que oculta um  bem guardado " tesouro " do alfoz sintrense: A igreja paroquial da evocação de São Pedro.

Quem circula na estrada junto a porta principal do templo, e se detenha  observar a construção simples austera  aprentemente  pobre do edifício,

PC247111.JPG

não calcula grandiosidade da beleza interior. As paredes  totalmente revestidas de azulejos  século XVII, com cores e desenhos belíssimos, altares laterais  e altar mor igualmente   imponentes. Flores naturais por todo lado, lamparinas de prata, bancos e soalho,  bem cuidados, enfim, acolhedora casa para meditar e rezar  a Deus.

P1107184.JPG

P1267238.JPG

P1107186.JPG

Sem dúvida   bela igreja de Portugal,  das mais notáveis da comunidade eclesial de Sintra. Também neste caso posso parafrasear o ditado " quem vê por fora,não faz ideia o está dentro ".

Vale a pena conhecer e contribuir  para preservar tão rico histórico e singular património,  considerado oficialmente  de interesse público.

 

PALÁCIO DA PENA E CASTELO DOS MOUROS PERTENCEM À NAÇÃO DESDE 1889

Algumas ocasiões, por falta de conhecimento, há quem afirme  o monumento mais visitado de Portugal , e  altaneiro, encima a Serra de Sintra,  belo e encantador Palácio da Pena, seria propriedade da Família Real, e  " usurpado " pelos plebeus republicanos , na sequencia da revolução de 5 Outubro 1910.

Nada mais falso,após  falecimento do Rei consorte D. Fernando II, os  bens que deixou em Sintra foram adquiridos pelo Governo , para o património da Nação.Desfeito mais uma vez o pretenso equivoco acerca dos legítimos proprietários quando a Monarquia foi extinta,deixo como ilustração, oteor do decreto publicado ao tempo.

  Efeméride  e facto  merecem ser  assinalados. Relembrando , Palácio e  Castelo dos Mouros, são jóias patrimoniais  de todos Portugueses desde 1889, comemorando-se nesta época  130º aniversário dessa posse.

mil oitocentos.jpg

 

MODERNO E ATRAENTE LOCAL PARA COMER E PETISCAR EM RIO DE MOURO

Abriu no primeiro dia deste mês, em Rio de Mouro Sintra,  estabelecimento com todas as condições para se transformar numa referencia na gastronomia da terra,

O proprietário é  mesmo do celebrado restaurante Arco Íris, a " catedral " dos pregos e bitoques de todo o Pais.Ambos ficam situados na Avenida Infante D. Henrique próximo da estação ferroviária da Vila de Rio de Mouro. esta caracteristica torna fácil  acesso , sem necessitar viatura, e nesse caso o estacionamento não é difícil.

O novo restaurante foi projectado e decorado com muito bom gosto ; espaçoso higiénico e confortável.Uma particularidade os empregados simpáticos e atenciosos, coordenados pela filha do proprietário, não precisam  manusear dinheiro,  os clientes podem utilizar  moderníssima máquina de pagamento, raros concorrentes possuem identica e higiénica opção

 Sinal inequívoco de progresso e  mudança do nosso " bairro". Bom augúrio ,  desejo de ver  " PETISQUEIRA DO RIO " , guindar-se ao nível  do " arco íris ".Fiquei cliente,  muitos serão por certo a    "ementa" apresentada, e  os donos pela arrojada iniciativa; merecem.Longa vida para " Petisqueira"

pest I.jpg

pestII.jpg

 

ÁGUA E PEDRAS, ORIGINARAM SÍTIO MÁGICO E " DIVINO"

De vez em quanto, no processo de coligir elementos com a pretensão de decifrar algo que desejo verdadeiramente conhecer, perante observação "in loco", e penso ter encontrado a solução, sinto algo difícil de descrever...

Aconteceu situação semelhante, há pouco tempo entre as localidades de Barreira e Funchal, freguesia de São João das Lampas no Município de Sintra, amiúde visitei o recanto para contemplar  numerosos menires ali existentes. Aqueles testemunhos da pré-história, porque  "jazem " em propriedade privada, têm sido delapidados: dois deles foram usados na década de oitenta do século XX para enroncamento nas obras do molhe do Porto da Ericeira.

Os menires atestam  a pratica de cultos,  o facto de terem sido "alçados", nesta região deverá estar relacionada com  beleza da paisagem, abundancia de água e a orientação geográficas do local.

A Atmosfera peculiar convida a reflexão.

Como  em outras ocasiões, procurei na toponímia elementos para compreender a "alma" do lugar.

Começo pela Barreira: entre diversos significados,  lugar cercado de estacas onde em tempos  antigos se realizavam, torneios, julgamentos e actos importantes para a comunidade ou indivíduos. No Funchal, área onde crescem funchos ; neste caso, funcho-de-água que encontramos junto do regato, alimentado pelas sobras da fonte existente, meio do caminho entre aqueles povoados. A bica actual inaugurada em 1940, substitui a anterior de chafurdo.

Funcho-de-água igualmente conhecido por "quebra-pedra": o chá feito da rama da planta tem propriedades de dissolver cálculos renais, chá de arrebenta pedra do rim.

Em tempo recuado, tratamento desta enfermidade seria feito pelos curandeiros na "Barreira" colocada num "santuário" de menires. A crença  aqui, natureza seria santificada,  atestada pela construção durante séculos por sucessivas civilizações ocupantes do território de vários templos  exemplo da " orada " paleo-cristã de Odrinhas, pouco distante da Barreira e do Funchal.

Não é difícil aceitar este rincão Sintrense, durante muito tempo, para os povos das cercanias foi  motivo de peregrinação na busca de cura para males do corpo e do espírito, por essa razão divinizado, particularidade ainda hoje confere a tais sítios: singularidade misteriosa e encantadora.

PC317132.JPG

PC317129.JPG

PC317131.JPG

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D