Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

SINTRA DESCONHECIDA - SEGREDOS DE RIO DE MOURO

A Aldeia de Covas, pitoresca localidade da freguesia de Rio de Mouro no  município de Sintra, durante séculos apesar pertenceu ao termo da Vila de Cascais, no centro da aldeia, deparamos com o seguinte:

P9267699.JPG

A designação, induz em erro, talvez se tenham lembrado de atribuir o nome por contraponto a outra rua das redondezas: "Rua dos Girassóis", no entanto não penso seja engano...

A Campainha é flor que floresce no fim do Inverno e anuncia a Primavera, simbolicamente segundo Chevalier e Gheerbrant, representa um consolo e uma esperança em dias melhores.

Curiosamente coincide com antigo caminho dos povos da margem direita da  "Ribeira de Redemouro ", usavam afim de assistirem a missa e ofícios divinos na igreja Matriz de Nossa Senhora de Belém, visível ao longe. Para os crentes, nada mais apropriado na busca de consolo e esperança que sacramento da comunhão na Santa Missa, daí a justeza das  "CAMPAINHAS".

P9267697.JPG

O caminho desenvolve-se entre muros, finalmente desimpedido de ervas e silvado, graças ao cuidado do executivo da Junta de Freguesia de Rio de Mouro.

P9267694.JPG

Um arco coroa as paredes e serve de suporte a levada destinada a rega da opulenta quinta do Pinheiro, a mais importante e antiga da zona.

Azinhaga avança até à margem, onde a ribeira exibe aspecto cristalino e despoluído de tal modo que, quando acompanhado de minha mulher visitamos o local, pudemos observar bando de garças reais! Digo bando porque  seguramente  seriam mais de uma dezena.

 Sítio onde os transeuntes transpunham o curso de água, apresenta actualmente  este aspecto.

P9267689.JPG

A corrente cristalina do bucólico recanto, no coração de freguesia densamente povoada, é característica devemos a todo custo preservar, moradores e autarquias para ser possível, continuar fruir encantos da SINTRA DESCONHECIDA  guardados como  SEGREDOS DE RIO DE MOURO

P9267690.JPG

 

 

CUIDAR DO ESPAÇO: REALÇAR A BELEZA!

Atenção e cuidado, dispensados ao ambiente são o modo eficaz de suscitar interesse para preservar e fruir do encanto das coisas simples que nos rodeiam.

Vem a propósito  trabalho de limpeza do talude da margem esquerda da Ribeira de Fitares, efectuado no troço compreendido entre ponte medieval da Rinchoa, situada na entrada do Parque Urbano da Rinchoa, ambas sobre ribeira referida na freguesia de Rio de Mouro, Município de Sintra na Área Metropolitana de Lisboa.

Numa recente visita ao sitio fui surpreendido com aspecto cuidado, desimpedido da vegetação daninha, a imagem documenta: 

P9237687.JPG

A remoção do matagal e silvado permite visualizar  o caule invulgar do pinheiro bravo existente na ravina.

P9237685.JPG

O tronco quase oculto antes da limpeza, está agora desafogado, vendo a grossura  das "pernadas" podemos admitir estar na presença de árvore notável! Com os trágicos incêndios ocorridos na floresta portuguesa, talvez  somente no pinhal de Leiria possamos encontrar pinheiro bravo idêntico.

P9257693.JPG

 

Pelo método empírico determinação de provável idade deste tipo de árvores o   "pinheiro bravo da Ribeira de Fitares" terá cerca 80 anos, sendo silvestre é invulgar.

Graças a remoção do coberto vegetal, perigoso e desnecessário, ressurgiu  belo exemplar! Caso para afirmar, que deste modo ficou realçada a sua beleza.

A vinte quilómetros do centro da capital do país causa admiração, caso assim. Talvez fosse apropriado, colocar sinalética a referenciar esta árvore, para ser melhor conhecida e preservada.

P9237682.JPG

 

 

 

   

A TOPONÍMIA FONTE DE CONHECIMENTO - CABEÇO DA FONTE

Municipio de Sintra, freguesia de Algueirão - Mem Martins, deparamos  uma artéria com designação singela.

P9207676.JPG

No entanto, não procederam correctamente os edis de Sintra, quando há décadas  deliberaram atribuir este nome , o " riacho " na margem do qual está placa, não é nem mais nem menos  Ribeira das Enguias.

Adiante! esta placa encontra-se nas traseiras do " falido " colégio D. Afonso V, famoso estabelecimento de ensino onde estudaram gerações de Sintrenses. O caudal da ribeira com seca estival, severa, como tem sido este ano, vai definhando;basta caiam algumas gotas de chuva,para um dos regatos que desaguam na ribeira,tomar alguma água e deslizar com algum " vigor " como verifiquei hoje:

P9207677.JPG

O regato nasce no Cabeço da Fonte, colina do lado da tapada das Mercês,  onde   construiram  cemitério de Algueirão, e autorizaram  construção de " avantajados" prédios de habitação; demonstrei  ali brota manancial indispensável a alimentação da Ribeira das Enguias.Bastava quem decidiu saber algo do significado dos " toponóminos " , não teria sido aberto  caminho a  provável " seca " da Fonte do Cabeço, ou do Cabeço da Fonte, tanto faz para a ignorância atrevida é tudo igual.

 

ANTIGA AZENHA " VIROU " LOJA DE FRUTOS DO MAR

Memorial de Oeiras, escrito no século XIX, contem descrição dos sítios e povoações , banhados pelo   " Rio de Oeiras ". Como já escrevi nasce " num pego nativo que está acima do pequeno lugar de Fanares " actualmente freguesia de Algueirão Mem -  Martins, Município de Sintra , Área Metropolitana de Lisboa.Na  "corrida " para a foz, no Tejo, junto a Oeiras,  curso de água, é designado com nomes diversos, pormenor já tratei neste espaço. 
Agora vou realçar facto importante, o " memorial " cita no lugar de Francos, freguesia de Rio de Mouro,  "  faz trabalhar uma azenha de duas rodas, deixa-se atravessar por passadouros, recebe em seu leito a grande Regueira de Varze- Mondar , que vem do Casal do Marmelo , e fontes da Serra de Manique de Cima ".

O edifício da azenha ainda existe na berma da estrada Paiões - Albarraque,  junto da ponte que substituiu os " passadouros " de antigamente, no entanto como tudo muda e se adapta as circunstancias do tempo que vai correndo, azenha é agora  estabelecimento de venda de pescado e marisco; deste modo não perdeu anterior função , antes moía-se ali grão para farinha, agora mõem a nossa carteira quando vamos até lá para comprar " frutos do mar "

 

 

 

PLANO RODOVIÁRIO DE 1945 MUNICÍPIO DE SINTRA

O boletim oficial   " Diário do Governo ", I série - número 102 de 11 de Maio, inseria  plano rodoviário nacional , apresentado pelo Ministro das Obras Públicas e Comunicações, Augusto Cancela de Abreu; diploma estipulava a designação da estradas nacionais, do modo seguinte :

 - Estradas Nacionais de 1ª classe ( Itinerários principais).

  - Estradas Nacionais de 1ªclasse.

 - Estradas Nacionais de 2º classe.

 - Estradas Nacionais de 3ª classe.

 - Estradas Nacionais de 3ª classe ( Ramais ).

 A numeração até 100, destinava-se aos itinerários principais. De 101 a 200, as de 1ª classe, de 210 a 300. as de 2ª classe, de 301 a 400, as de 3ª classe.

No municipio de Sintra, segundo o plano , existiriam as estradas seguintes :

Estrada nacional 8, Cascais - Alenquer ( Cascais , Mafra , Torres Vedras , Alenquer.)

Estrada nacional, 117  ( Lisboa - Portas de Benfica - Queluz - Pero Pinheiro.)

Estrada nacional , 247  Peniche ( proximidades ) - Cascais, passando por , Porto de Lobos , Lourinhã, S. Pedro da Cadeira , Ericeira, Sintra , Colares, Cabo Raso, Cascais 

Estrada Nacional 249, Lisboa - Sintra , inicio em Benfica,passando por Amadora , Cacém- Sintra ( Estefânia ).

Estrada Nacional 250, Caxias- Sacavém, e pssagem por , Cacém,Caneças, Loures.

Estrada Nacional 375, Alcainça-Sintra, passando por estação de Mafra, Cheleiros, Odrinhas,Azenhas do Mar, Colares, Sintra.

Estrada Nacional 8-1 Ponte de Lousa - Pero Pinheiro ; passando por Almargem do Bispo. 

Estrada Nacional 9-1 Cascais , Malveira da Serra , Linhó.

Estrada Nacional 117-1 Queluz, Carnaxide , Algés.

Estrada Nacional 117-2 Pendão, Carenque.

Estrada Nacional 247-3 Pé da Serra , Sintra

Estrada Nacional 247-4, Azóia , Farol do Cabo da Roca.

Estrada Nacional  249-2 Massamá , Apeadeiro de Barcarena.

Estrada Nacional 249-3 Cacém , Leião, Porto Salvo, Paço de Arcos

Estrada Nacional 249-4 Estrada 249, Albarraque, Abóboda, S. Domingos de Rana , E.N.6-5  ( Sítio do Barão )

Estrada Nacional 250-1, Venda Seca, Meleças, Algueirão, Granja do Marquês

As rodovias referidas  ainda existem quase todas , para não se perder memória delas aqui fica o contributo.

Cabo da Roca terminus de uma das estradas.

PB276061.JPG

 

 

A " FREGUESIA DE VENDA SECA " NO CONCELHO DE SINTRA.

Incêndio perigoso devorou ontem 9 de Outubro , neste árido e demasiado ensolarado 2019, durante algumas horas,  vegetação de um sitio emblemático e ambientalmente notável da Área Metropolitana de Lisboa : a Serra da Carregueira.

O fumo visível a grande distancia, deixava antever acontecimento de possível gravidade. Vento forte ausência de humidade,fizeram a prontidão dos bombeiros fosse ainda maior.Mesmo assim  densa fumarada, e  proximidade de casas de habitação, originaram intoxicações ligeiras em alguns " soldados da paz ", pessoa vitima de enfarte , talvez com susto, teve de ser conduzida ao hospital.

Precaução justificada pela violência das chamas, originou a saída de cerca meia centena de pessoas de suas casas.Localizado perto da capital, não admira as estações televisivas, enviassem  meios reportagem.

A televisão SIC,no jornal da noite , anunciava pela voz de um  enviado, devido ao incêndio teriam sido evacuadas  , pessoas da freguesia da Venda Seca ( sic ).autarquia  não existe nem nunca existiu. Venda Seca é localidade da freguesia sim de Belas.

Nem queria acreditar ,  ouvi mesmo ; demonstração de desconhecimento do que é  actualmente o concelho de Sintra.

Os modos de comunicação não tem informação fidedigna , acerca do nosso Município,nada sabem das requalificações urbanísticas em curso e projectadas, ciclovias,escolas de excelência, centros de saúde modernos feitos de raiz, hospitais privados e o público em execução, lojas do cidadão ,parques urbanos, fico por aqui para não ser exaustivo.

Talvez seja necessário  Câmara Municipal, não só realizar as obras , mas também informar os " media " do que se faz.Porque se disser o que conheço e disfruto diariamente, como por exemplo do parque urbano da ribeira das enguias, vão dizer  não pode ser , " nunca ouvi falar na televisão " ; como demonstrei na TV, passam acerca do Município Sintrense, normalmente; noticias " emitidas da freguesia da Venda Seca ", que fica nenhures.

P9127670.JPG

 

 

PARECE FOI ONTEM. NO ENTANTO PASSOU UMA DÉCADA

Em 30 de Setembro de 2009, abriu ao tráfego  troço da auto - estrada A16, de Lourel a circular radial exterior de Lisboa ( CREL), junto a Idanha - Belas.

Em boa hora concluído; melhorou significativamente mobilidade no município de Sintra, e zona ocidental da Área Metropolitana de Lisboa; libertando acesso rodoviário ao concelho sintrense da " obrigatória " utilização do mal fadado IC19. 

Governo de direita empossado no seguimento das eleições de 2011, manifestou publicamente  desagrado pela obra, com argumento não fazia falta, se tivesse dependido da  deles  A16,  nunca teria sido construida.

Convém lembrar  aquela gente também não queria  conclusão do túnel do Marão. Hoje nem falam nisso,pudera, é uma das mais úteis e estruturantes realizações da democracia a par do Alqueva.

Em Portugal a direita governou em ditadura durante quase 50 anos. Depois de 25  Abril 1974, basta lembrar malfeitorias resultantes da acção da direita política portuguesa.

Cada um analise e conclua; é indesmentível, auto - estrada de Sintra por vontade de alguns, nunca existiria. No entanto já há 10 anos foi inaugurada.

Não venham com estafado argumento da " bancarrota ". ninguém fica de fora das causas. Agora estamos a iniciar novo ciclo ; veremos próximo dia 6  resultado eleitoral. Todos a votar, é um direito e um dever.

P9047661.JPG

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D