Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

DE QUINTA SOLARENGA A HORTA SOLIDÁRIA

 Decorrer do tempo,provoca alterações sociais políticas e económicas, poucos se atreveriam a vaticinar.

O Município de Sintra,no ultimo seculo e meio,passou por processo de  transformação tão profundo que analisando algumas situações ficamos com pálida ideia do que ocorreu,

Na freguesia de Rio de Mouro, margens do curso de agua que atravessa o território desaguando no Rio Tejo, na praia de Santo Amaro da vila de Oeiras.existiram opulentas quintas , pertencentes a nobreza e alta burguesia de Lisboa.

Era famosa a quinta de uma família " Basto ", ficava situada entre  actual a ponte do IC 19, logo a seguir a antiga estalagem da gruta do Rio e a regueira nasce junto a capelinha de Nossa Senhora das Mercês.

A  propriedade por nela se construiu  repreza  de onde saia agua para mover azenha do casal dos Almargens, passou ser referida com quinta da "represa" quedando com andar do tempo, simplesmente "da presa" .

Vicissitudes da história levaram parte importante da fazenda, a posse da Câmara Municipal de Sintra, a qual em boa hora decidiu dar terreno expectante,  finalidade social e ambientalmente  relevante , constituindo conjunto de hortas solidárias que emprestam, agora, ao sitio aspecto magnifico. Quem haveria dizer... Adoro a solução encontrada é digna de ser conhecida e louvada.

PA208203 (2).JPG

PA208204 (2).JPG

 

CONSELHOS DE MÉDICO SINTRENSE CONTRA PANDEMIA EM 1918

Ouvimos amiude comentadores sanitários enxameiam órgãos de comunicação social,designadamente a televisão quando opinam acerca da actual crise sanitária "estamos perante uma situação totalmente nova, não havia conhecimento como actuar. para debelar contágios ".

Sem qualquer comentário,lembro recomendações do médico Hermano Neves, natural de Alvares, concelho de Góis, distrito de Coimbra,no entanto  sendo filho dos professores do ensino básico Joaquim Neves, ( mestre Neves ). e Maria Emília Neves e Silva, exerciam o magistério no concelho de Sintra , residindo numa vivenda no Cacém, por isso, Hermano cresceu em Sintra, até idade adulta. 

Frequentou o curso de Medicina , na Universidade de Berlim, onde se deslocou indo de Lisboa a capital Alemã pilotando uma bicicleta, feito notável para aquele tempo, inicio do seculo XX.

Faleceu com pouco mais de quarenta anos,está sepultado no Cemitério de São Marçal em jazigo de família.Um dos seus filhos Mario Neves,distinto jornalista, primeiro embaixador de Portugal na ex União Soviética, depois de Abril 1974.A exemplo do pai democrata republicano opositor do regime ditatorial do Estado Novo.

Perante a gravidade do surto da gripe pneumónica, Hermano Neves, sugeria no jornal a Capital de que era director,conduta social para travar propagação.

A gripe deve tratar-se desde que aparece , antes com exagero de precauções do que deficiência de cuidados.

Já vimos muitas pessoas de ter passado a gripe de pé. É uma atitude que se em regra revela mais ignorância do que coragem.

Aos primeiros sintomas de influenza, metam-se na cama. resguardem-se e chamem o médico.Nunca se perca de vista uma noção fundamental a convalescença da gripe é sempre longa, e as recaídas terríveis.

Não se visitem doentes, que devem ser o mais possível isolados, porque se esse acto. aliás piedoso, não for prejudicial ao visitante, pode ser fatal a terceiras pessoas com quem depois entre em contacto .

Os meios terapêuticos, para debelar a doença eram muito menos eficazes dos de agora, a metodologia de travar contágio mantém-se útil e eficaz.

Medidas tomadas em 1918,na primeira vaga, depois em 1919, na segunda, podem ser consultadas está tudo publicado. 

Parece neste como em outras ocasiões aquilo continua ser evidente, é falta de conhecimento do passado.

FEIRA DAS MERCÊS ONDE COMEÇOU FAMA DO LEITÃO DE NEGRAIS

Das feiras " arrabaldinas " de Lisboa, a sintrense Feira das Mercês, é das poucas apesar de antiga ainda se vai realizando.

Tempo houve seria das mais concorridas, e animadas de quantas se realizavam por esse Portugal fora.

Afluíam a feira gentes desejando  comer e beber petiscos diferentes e únicos :

peras pardas cozinhas, produzidas nas redondezas,carne de porco frita no barro, vinho de Torres Vedras. A carne de porco resultava do desmanche de suínos no recinto do certame, criados, em "pocilgais"  vizinhos.

Esta apetência pela carne de bácoro, quando da abertura da linha de caminho de ferro do Oeste, motivou os " leitoeiros " da Vila de Mealhada, no distrito de Aveiro, via ramal da Pampilhosa do Botão, chegavam a Figueira da Foz, daí com facilidade ao apeadeiro de Meleças, passando fornecer a feira de leitão assado.

O sucesso foi grande, não havendo concorrência, o preço era "puxado", talvez por isso, alguns moradores do então lugarejo de Negrais, freguesia de Almargem do Bispo, começaram a fazer comércio de leitão assado de forma diferente, chamado " leitão espalmado", deste modo o preço baixou. O leitão de Negrais começou a ser famoso.

Também já escrevi neste espaço, a importância da  Feira das Mercês , na difusão da petiscal invenção sintrense: o prego.

Em 1929,  foto de arquivo do antigo jornal " O Século ", mostra  multidão em dia de feira.São visíveis ramarias dos plátanos, no terreiro principal, demonstração prova serem árvores centenárias.

Mais um motivo de interesse para visitar a Feira ou simplesmente o sitio em qualquer época do ano.

mimimerc.jpg

 

  

ICONE DUMA GRANDE EMPRESA

Neste quase final do presente  2020, não podia deixar passar claro,referencia a história da empresa industrial, mais importante e conhecida,de quantas laboram na freguesia de Rio de Mouro, concelho de Sintra,onde resido há quase meio século.

Estou lembrar fábrica TABAQUEIRA, líder nacional do fabrico de cigarros. Fundada em 1927,integrada no grupo , liderado pelo grande gestor e industrial Alfredo da Silva.

O estabelecimento fabril de Albarraque seria inaugurado em 1962, assim, podemos afirmar, é empresa Sintrense, porque labora no concelho há 58 anos,o mais longo lapso de tempo da sua história.

Os fumadores, de várias gerações,deram preferência as marcas produzidas pela Tabaqueira.Uma dessas seria o popular " Três Vintes" incluído na gama da empresa desde o inicio, como prova anuncio, publicado na imprensa no ano de 1928.

Decorre  ano de 2020,  curiosamente ,época asada para lembrar a marca de tabaco  20 20 20. 

tab 4.png

 

 

 

ORAGO DA CAPELA DE ALBARRAQUE

Albarraque,  é localidade da freguesia de Rio de Mouro, no Município de Sintra, o segundo concelho com mais população em Portugal.

Acerca da importância económica social e histórica, escrevi alguma prosa neste blogue, hoje deixarei de lado facto de Albarraque ser dos maiores pólos da industria dos tabacos a nível global, vou referir  particularidade de índole religiosa característica da aldeia.

Esta região é habitada desde tempo remotos, não admira como todas as povoações de vetusta idade , Albarraque, tenha capela onde antes da edificação da igreja da Sagrada Família, povo acorria, no cumprimento dos deveres religiosos.

Por volta de 1870, Pinho Leal no Portugal Antigo e Moderno, escreveu . " Nesta aldeia está a formosíssima capela de Nosso Senhor dos Aflitos, e cujo padroeiro se faz uma festa sumptuosissima.

A sagrada imagem do Crucificado é de primorosa escultura  de um valor inexcedível, e os povos destes sítios lhe consagraram uma grande devoção "

Ficamos saber há 150 anos, a capela seria da evocação do Senhor dos Aflitos. Actualmente é celebrada anualmente festa em honra de Santa Margarida, cuja imagem secular se venera no templo.

Em 1911, era referida simplesmente por  "capela de Albarraque", sem menção alguma a nome do padroeiro,

Desconheço quando canonicamente , deixou de ser da evocação de Nosso Senhor dos Aflitos, passando a protecção de Santa Margarida,

Dúvidas a parte, a imagem em marfim de Cristo Crucificado, é de grande beleza, sendo apresentada em exposições de arte sacra , como exemplo de grande valia,simbólica e muito bela.

P9086769.JPG

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D