Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

ALENTEJO DESAPARECIDO

No trabalho árduo de "plantar"  árvore genealógica da nossa família,encontramos no ramo virado ao sul para lados do Alentejo, um nosso bisavó, natural da freguesia de São Miguel do Adaval,concelho de Redondo,como alguns gostam de completar, distrito de Évora.

Sabíamos data de nascimento , e partida da vida presente.O assento de baptismo indica sem margem para erro, local onde o fizeram cristão:

" Aos vinte dias do mês  de Janeiro de 1878, nesta paroquial igreja de S. Miguel do Adaval,baptizei um individuo do sexo masculino a que dei o nome de IGNÁCIO,nasceu no monte da herdade da Madeira Velha, desta freguesia as 6 horas da noite do dia 27 Dezembro próximo passado,filho legitimo de José Jacinto, natural da freguesia matriz da vila do Redondo, e Gertrudes Maria, natural da freguesia de Nossa Senhora de Machede, concelho de Évora".

Era nosso desejo meu e da minha mulher,visitar a orada onde decorreu  "baptizo" do estimado antepassado.O tempo urge decidimos por viatura ao caminho.Dia quente, depois de pouco mais de uma hora de estrada chegamos recanto alentejano, densamente  cultivado com olivais e vinha, estranhamente sem pássaros esvoaçando.

Procuramos, passando pelo sitio onde deveria estar o templo, e nada.Em desespero de causa, perguntamos, na aldeia de Santa Suzana do Redondo,a  simpática senhora, onde podíamos achar a igreja.

Infelizmente a novidade não foi a que desejávamos, porque igreja, ou antes a capela, agora está em propriedade privada, não sendo acessível.

Do povoado do Adaval, nem ruínas, a capela restaurada, avista-mo-la no topo de uma colina cujo acesso está vedado por robusto portão colocado no inicio do caminho para lá.

Investiguei, a freguesia seria extinta em 1932, sendo anexada a matriz de Redondo, fizeram inventário do recheio do templo e tudo entregue a fazenda nacional.

Curiosamente, quando decretaram fim administrativo do Adaval, faleceu  bisavô IGNÁCIO, na idade 54 anos, dizem vitima de doença do coração, talvez cansado, triste, não só por vida de trabalho árduo,mas também ter assistido ao fim da terra onde nasceu , donde teve de "abalar".

Tudo acaba, neste mundo, este bisavô da nossa árvore, porque estamos a contar um pouco da sua história, não morreu ainda.

Quanto ao desaparecimento de parte do passado do Alentejo isso já não tem remédio; são contas dum outro rosário.

 

BARTOLOMEU DA COSTA CABRAL - MEMÓRIAS EM SINTRA

No dia 20 do passado mês de Abril,faleceu aos 95 anos de idade, na cidade de Lisboa insigne arquitecto,que hoje evocamos.

Considerado, justamente, dos mais distintos arquitectos portugueses,são de sua autoria construções relevantes representativas da arquitectura da modernidade, existentes no concelho de Sintra.

Exemplos edifício da agência da Caixa Geral Depósitos na Vila de Sintra; em de Rio de Mouro são do seu "risco",a fabrica de embalagens,situada na quinta grande Rinchoa, perto da antiga passagem de nível do caminho de ferro do oeste em Meleças. Esta realização  seria galardoada com prémio Raul Lino  em 1968.

O edifício da faculdade de engenharia do campus da Universidade Católica Portuguesa, em Rio de Mouro é de sua autoria.

Os projectos do bairro social no sitio do Pego Longo, freguesia de Queluz - Belas, assim como  mercado de Rio de Mouro, são igualmente  deste arquitecto.

Merece ser  conhecido, e as suas realizações admiradas, não só no universo Sintrense , mas também em todo o lado onde o seu talento e labor deixaram marca.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D