Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Tudo de novo a Ocidente

SÃO OS MORTOS QUE NOS COMANDAM NA HISTÓRIA!

Peço desculpa.Tenho de abrir uma excepção no conteúdo dos meus blogs, não existirá muita gente que como eu escreva sobre a Rinchoa, moro aqui há quase 40 anos, adoro o sítio, por isso me entristece que um cada vez maior número de pessoas tome conhecimento da importância da nossa terra por motivos que impressionam. São as consequências do urbanismo e da solidão.

Uma nossa vizinha que morava ao pé da garagem dos reboques que todos sabemos onde fica, morreu o que é natural  dada a sua avançada idade, mas o modo como foi o seu passamento não pode ser tolerado.

Até que a voz me doa direi que não há perdão para o sucedido. Não digam que as relações de vizinhança falharam, porque a vizinha que deu pela falta da Sr.ª.Dª. Augusta Martinho avisou a família e as autoridades, os familiares fizeram o mesmo e ninguém ligou.

As forças policiais, os serviços camarários, as autarquias, os tribunais, tudo ficou mais "quedo que o boi da Merceana". As Finanças actuaram "com zelo e eficiência", alienando um bem avaliado em dezenas de milhar de Euros para saldar uma dívida de menos de 2000 euros.Colocaram em hasta pública uma casa sem fazer a inventariação do recheio...  

A Srª.Augusta faleceu, jazendo no chão da cozinha da sua habitação durante 9 anos, o seu fiel amigo cão pereceu na varanda, talvez varado pela comoção de encontrar a sua dona sem vida, o pássaro de estimação também morreu à mingua e à sede.

Temos de saber como foi possível tudo isto. É um sinal preocupante revelador do nível de degradação da actividade do Estado, alguns dos que exercem  funções de chefia, por  desleixo e incúria, não têm a sagacidade necessária para compreenderem as consequências da sua inépcia. Portugal tende cada vez mais para  a categoria de Estado Exíguo. Temos de mostrar indignação para que situações destas não se repitam.

Descanse,finalmente, em paz no cemitério da nossa Freguesia e que nos digam quando é o funeral da Sr.ª.Dª.Augusta Duarte Martinho, pois devemos comparecer todos os que pudermos, a sua morte deve motivar o nosso empenho para se mudarem as causas deste acto sem nome. A frase de Unamuno que serve de título mostra que situações desta índole podem conduzir a mudanças no exercício da CIDADANIA, entendida como respeito para com quem partilhamos os  caminhos da vida, isto é, praticar o princípio da ALTERIDADE, deixamos  singela lembrança da flor dum lírio branco obtida num canteiro da Rinchoa, e quem sabe,  um dia a nossa vizinha, também viu.  

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D