Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

Mistérios da Rinchoa - Avenida das Acácias

A primeira das avenidas traçadas por Leal da Câmara, na urbanização da quinta grande na Rinchoa concelho de Sintra, é denominada "Avenida das Acácias" paralela à Calçada da Rinchoa, com uma extensão de setecentos metros e largura de doze.

O nome atribuído demonstra que Leal conhecia o significado simbólico da acácia, associado a valores religiosos. A madeira da arca da aliança seria desta árvore, a coroa de Jesus Cristo na Cruz, teria os espinhos da acácia espinhosa. Igualmente nos rituais da maçonaria de que Leal da Câmara foi membro representa a imortalidade; segundo a tradição judaico-cristã  o "lenho" desta planta é indestrutível.

 A acácia está relacionada a todos os processos de iniciação e conhecimento de coisas transcendentais que Leal perfilhava. Era intenção realizar na Rinchoa uma obra singular, baseada no triunfo da luz solar sobre o obscurantismo e mesquinhez que predominavam na sociedade portuguesa dos anos quarenta do século XX. No seu pensamento, deveria ser a "acácia da flor doirada a mimosa do oriente" e não a da flor branca, a falsa acácia do ocidente a robínia.

Na avenida existem sómente acácias junto ao lote 27 do projecto inicial, pertença de um dos amigos do Mestre. Aquele plantou duas árvores não só para estar de acordo com o plural  do nome, mas também porque a companhia ajuda a concretizar os sonhos e as fantasias...

Seria conveniente plantar em toda a artéria árvores iguais. O porte sendo pequeno, não traria inconvenientes aos moradores. Pelo contrário as flores doiradas das acácias na primavera transformariam a avenida num traço "luminoso"de acordo com a ideia de Leal.

   

MISTÉRIOS DA RINCHOA - AVENIDA DAS TÍLIAS

A urbanização da Rinchoa desenhada por Leal ds Câmara, entre outros aspectos que iremos referir futuramente é um repositório dos ideais e  influencias que contribuíram para a singularidade da sua obra.

Como anteriormente chamamos a atenção, Leal teve uma preocupação devidamente fundamentada na escolha do nome das árvores para denominar as artérias da Rinchoa. Um dos exemplos mais interessantes é o da AVENIDA das TÍLIAS. Sabemos que esta árvore é uma das mais profundamente simbólicas da mitologia germânica, a sua flor perfumada ainda hoje enche de encanto a principal avenida de Berlim "Unter den linder".

Significa a profunda admiração que Mestre Leal, devotava à cultura alemã. Foi um acérrimo inimigo do belicismo Prussiano, no entanto fazia sempre a destrinça entre o imperialismo alemão e a contribuição do pensamento dos intelectuais daquele País, para o progresso da humanidade.

A avenida das tílias foi projectada de modo que o seu eixo em perspectiva se encontrasse com o do Palácio da Pena,obra do rei germânico D. Fernando II.

A esta admiração pela cultura alemã era também perfilhada pelos seus amigos, Acúrsio Pereira em discurso de homenagem póstuma a Leal, escreveu sobre ele: "LOHENGRIN não partiu definitivamente na sua maravilhosa concha nacarada arrastada pelo manso ruflar das asas de uma pomba branca", trata-se de uma alusão à bela composição de Wagner. A avenida das Tílias com a silhueta do castelo da Pena ao fundo, é uma deliberada opção de Leal, no sentido de realizar mais um das suas frequentes  fantasias, que enigmaticamente encontramos, em muitas das suas criações. Enfim mais um mistério da Rinchoa, não só no sentido de uma encenação, mas também uma marca de algo transcendental e divino.

 

 

 

MISTÉRIOS DA RINCHOA

A urbanização da Rinchoa, idealizada por Leal da Câmara e concretizada através da empresa por ele constituída "A Realizadora" tem particularidades de traçado que devem ser realçadas.

 Em 1944, quando do congresso de "Mem-Martins e Rinchoa-Mercês" foi aprovada uma recomendação para que fossem dados às "ruas, nomes de árvores e flores".

Esta resolução do congresso tem sido respeitada até hoje e a Rinchoa é talvez o único sitio de Portugal onde não se atribuem nomes de pessoas nem de datas à toponímia das ruas.

Quem sabe, fruto das conversas aos serões, no Casal Saloioi, entre Leal da Câmara e os seus amigos, pessoas estudiosos do esoterismo, na Rinchoa há ruas, com aspectos e nomes com um toque de mistério.

A Avenida dos Plátanos  tem plantados nas suas bermas trinta e três árvores daquela espécie e não foi por acaso porque há espaço suficiente para mais....

Num dos topos da Avenida dos Plátanos fica a Avenida dos Carvalhos, no outro a das Acácias e no meio formando a mais longa Avenida da urbe a dos Choupos.

Estes pormenores fazem da Rinchoa uma povoação singular: o seu nome, as ruas, e agora até a localização que possibilita aos seus moradores a utilizarem duas estações de caminho de ferro modernas e funcionais:

Meleças e Rio de Mouro.

E há quem não repare nisto...

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D