Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

A " FONTE DA ARANHA" Significado do topónimo

Fonte da aranha, é uma nascente situada no concelho de Sintra, na antiga freguesia de São Pedro do Almargem do Bispo. Diversas ocasiões descansei no pequeno recinto na beira da estrada que embeleza vetusta "bica" agora seca.

Um bosquete de sobreiros e carvalhos cobre a colina donde brotava a água. A fonte matou a sede a muitos passantes e  sem dúvida a frequentadores da festa de Nossa Senhora da Piedade da Serra, cujo templo se ergue nas proximidade. Está validado por documentação coeva, que aqui passava na idade média, o caminho percorrido pelos peregrinos  de Lisboa a Santiago de Compostela na Galiza.

A fonte da aranha é citada nas memórias paroquiais de 1758, com sendo um casal.Por certo ao longo dos séculos devido a amenidade destas paragens, alguns povoadores resolveram quedar neste sítio.

Nos primórdios existia no local um albergue ou abrigo onde os romeiros a Compostela, descansavam e aproveitavam a  fonte para saciar a sede e lavar as mazelas que as longas caminhadas acarretam.

Havia curiosidade da nossa parte, descobrir porque motivo se teria dado ao manancial o nome do aracnídeo.E o elemento estalagem albergue, abrigo,orientou o nosso pensamento no sentido de aranha estar relacionada com "teia, fio, casulo etc." palavras relativas ao conforto. Há pouco tempo, tive uma epifania, a minha neta  começou a dar as primeiras passadas e necessitou dum aparelho designado por "aranha" para se amparar. Isso mesmo a aranha é um amparo que auxilia a caminhar, era a função do albergue. Eis a solução a fonte seria anterior ao abrigo dos peregrinos , quem sabe uma simples choupana, "tecida " com ramaria de árvores, o nome depois atribuído :" fonte da aranha",resultou da situação daquela ser  junto do ponto de apoio onde caminheiros, retemperavam forças e ganhavam alento para prosseguirem a dura jornada. Estou contente, consegui decifrar o "enigma" e partilhar com aqueles que visitam o "blog".

P7073405.JPG

 

P7073406.JPG

 

TOPONÍMIA SINTRENSE - PALMEIROS

Na antiga estrada real de Lisboa a Mafra, passando por Belas, actualmente denominada estrada nacional 117, entre as povoações de Sabugo e Morelena, deparamos com o sítio  de Palmeiros.O que resta do primitivo povoado, fica pouco afastado da estrada junto ao caminho vindo do lado da aldeia de Cortegaça. Esta via corresponde a um antigo trajecto que ligava Sintra a Palmeiros. Quem circula na E.N.117 não repara nem relaciona, este "descampado", com as suas reminiscências jacobeias.

Palmeiro,quer dizer: pessoa que vai em romagem ,peregrino, romeiro. No percurso das peregrinações durante a idade média existiam albergarias ou pousadas para descanso do peregrinos, cujo funcionamento estava a cargo de indivíduos chamados "albergueiros" ou membros de instituições religiosas, as confrarias. Esta albergarias destinavam-se a repouso e alimentação dos romeiros pobres, principalmente aqueles que dirigiam para Santiago de Compostela, grande centro de romagem ao longo da idade média europeia.

Na região oeste de Portugal há notícia de albergarias em Mafra, Cheleiros, Alcainça, Azueira, S.Pedro da Cadeira, Enxara do  Bispo, Sapataria etc. No concelho de Sintra, Palmeiros e Fonte da Aranha, perto da ermida de Nossa Senhora da Piedade da Serra, no cimo do Vale de Lobos. A zona antiga da aldeia de Palmeiros dispõe duma fonte junto a um regato que corre quase todo ano, deveria ser por aí a localização do albergue. Nas Caldas da Rainha por determinação da rainha Dona Leonor, os romeiros a  São Tiago podiam descansar uma noite no Hospital que ali fundou.

PC022811.JPG

 

Palmeiros significa local onde os peregrinos podiam descansar recuperando forças para prosseguirem a jornada da sua devoção, quase sempre, para Compostela. A toponímia é repositório de belas e evocativas memórias e um "caminho", para conhecimento e descoberta que o símbolo do peregrino a Compostela: o bordão a vieira e  cabaça, sintetizam perfeitamente.

PC022836.JPG

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D