Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

ROTEIROS - PORTUGAL DAS "TREZENTAS " EN 373, ESTRADA DE BALUARTES E VILAS FLORIDAS

Percorri  EN 373, talvez um dezena de vezes, nunca me canso.A estrada liga Ouguela, Campo Maior, Elvas, Alandroal, terminando , na proximidade de Redondo, no caminho da Serra de Ossa,

Em Ouguela,  marco zero da via, foi recentemente caiado,  assim cobriram as indicações inscritas. Enfim nabiçes e desleixo.Ouguela é aldeia, dormente e decadente, edificada no alto de colina,tem encanto único, merece demorada visita.

No cemitério da terra,está o humilde e pobre túmulo do primeiro  Visconde de Ouguela Carlos Ramiro Coutinho, amigo  confidente de Camilo Castelo Branco, detentor de uma das maiores fortunas de Portugal, no seu tempo, agricultor com visão de progresso, grande latifundiário, nesta região. Poderia ter mandado edificar faustoso mausoléu no cemitério da elite de Portugal, e escolheu, repousar para sempre aqui, neste fim do mundo....

Perto fica santuário mariano de Nossa Senhora da Enxara, onde se realiza concorrida romaria pela altura da Páscoa. Deambulei na EN 373, em determinado mês de Dezembro, há talvez cinco anos , maravilhado pude observar centenas de aves de grande porte; vim saber eram grous, costumam invernar nesta zona.

Até chegar a Campo Maior . cuja aproximação se anuncia com aromática " brisa de café ", a via tem traçado quase rectilíneo.Em Campo Maior  ficarei até  próximo apontamento

P1246213.JPG

P1246214.JPG

 

PERSONAGENS ILUSTRES VIVERAM EM SINTRA - VISCONDE DE OUGUELA

A  vila de Sintra,durante dilatado tempo, local de residência permanente ou sazonal de personalidades importantes da sociedade portuguesa.A memória de algumas foi perpetuada em  artérias do município sintrense, quantas pessoas associam o nome da placa toponímica, a vida e obra do "homenageado" ?

Um exemplo é o Visconde de Ouguela de seu nome Carlos Ramiro Coutinho, natural de Lisboa onde nasceu  no dia 30 de Julho de 1828,  faleceu repentina e inesperadamente na mesma cidade 5 de Janeiro de 1897.

Grande proprietário e capitalista, escritor , licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra.No concelho de Campo Maior , onde está situada a aldeia de Ouguela, antiga praça forte de defesa da fronteira com Espanha,possuía grandes extensões de terra, interessou-se pela sorte dos habitantes de Ouguela, os quais auxiliava generosamente.talvez por isso ,  o rei D.Luis ,  agraciou - o com titulo.

Em Sintra possuía casa , actualmente ,habitação de turismo local,situada junto a estrada que desce de São Pedro de Penaferrim para Vila Velha.

Culto e progressista, acusado e preso , de ser revolucionário e republicano; membro da maçonaria,ajudou organizaçoes de  auxilio ao operariado.

Postumamente foi publicado o seu livro " O ULTIMO CARRASCO ",onde acerca das condições de vida do povo português  ao longo dos tempos,escreveu.

"na vida campestre  emparelhava com o boi , inventariava-se entre as alfaias da oficina rural(...), na sociedade urbana era o operário - mal ensinado, parcamente retribuído,entregue a si e aos próprios  e escassos recursos, sem lição nem modelos, sem estímulos. sem auxilio  e sem mercado vasto e animado para os produtos da sua industria(...).E o povo vivia assim - submisso e reverente- porque as misericórdias , irmandades, confrarias e ordens monásticas de todas as categorias e religiões mitigavam a miséria  publica com o caldeirão da sopa fradesca, generosamente  distribuída na portaria dos conventos. Ensinava-se oficialmente um povo inteiro a ser mendigo, por isso  que a caridade em tais condições mais aproveitava aos ociosos e vagabundos do que aos enfermos e verdadeiros indigentes"

" Decretava-se  a mendicidade como dogma . Eram o pauperismo,a ociosidade e a degradação humana nobilitados pela igreja.E em alguns dos amplos e lajeados claustros e vastas escadarias dos cenobios havia aula publica de humildade ignóbil, de torpe vadiagem e de crimes até. O fanatismo é sempre audacioso e truculento.

Vivíamos assim ".

Carlos Ramiro Coutinho, homem de ideias avançadas, desejava um País mais justo e fraterno morreu na força da vida. Parece  em Portugal tudo aquilo que é inovador e esperançoso tem de ser aniquilado depressa, não vá resultar....

A artéria sintrense, ostenta  nome de Visconde de Ouguela, são  humildes escadinhas. Aqui para nós o Homem merecia uma avenida. 

ougggela.jpg

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D