Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

Património: obra premiada esquecida

Um prémio de arquitectura demonstra apreço relativamente à obra premiada e ao seu autor, distinguir algo e alguém, significa a sociedade civil assumir compromisso no sentido de preservar o património galardoado.

Esta reflexão vem a propósito da unidade industrial destinada ao fabrico de artigos de plástico, existente na quinta grande de Meleças, freguesia de Rio de mouro concelho de Sintra distrito de Lisboa, Portugal.

Construção concluída em 1963, período  de expansão da economia nacional, resultante do eclodir da guerra nas colónias portuguesas de África e adesão de Portugal a Associação Europeia de Comércio Livre na designação inglesa (EFTA). O local onde se implantou a fábrica tem fácil acesso rodo  e ferroviário, inserido no eixo da linha do Oeste, estações de Agualva-Cacem Meleças Sabugo onde se estabeleceram várias fábricas,origem de polos industriais importantes,agora em declínio.

O arquitecto incumbido de projectar a fábrica de Meleças foi Bartolomeu da Costa Cabral, autor de relevantes realizações: edifício da Sociedade Portuguesa de Autores, Avenida Duque de Loulé, Lisboa, Polo 1 da universidade da beira interior Covilhã, Universidade do Minho- núcleo de Guimarães, Estação da Quinta das Conchas do metropolitano de Lisboa, Bloco de prédios das "Águas Livres" em Lisboa de parceria com Teotónio Pereira. No Município de Sintra são também de sua autoria: Edifício da agencia da caixa geral de depósitos na vila, faculdade de engenharia da universidade católica, "campus" de rio de mouro, plano de recuperação bairro do pego longo. Pequena resenha do labor de Bartolomeu Costa Cabral, nascido em 1929 felizmente, continua a exercer a sua paixão pela arquitectura.

O projecto no equilíbrio do seu traçado e  modernidade da  concepção, exemplifica que um estabelecimento fabril  mesmo, implantado num descampado, pode transformar-se num motivo para uma visita,porque a as obras  de arte são fonte de encantamento.

Na III exposição de artes plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian1986, Bartolomeu da Costa Cabral por este projecto recebeu o prémio Raul Lino.

O edifício continua a desempenhar a função económica original, o aspecto denota algum abandono por falta de conservação. Seria possível a Câmara de Sintra em dialogo com os proprietários, ouvindo  o arquitecto Costa Cabral, recuperar o imóvel considera-lo de interesse concelhio, a exemplo do que fez a Câmara de Lisboa com o bloco "aguas livres"? Costa Cabral merece, os sintrenses também...

A veneranda imagem de Nossa Senhora da Piedade da Serra

Voltamos de novo à ermida de Nossa Senhora da Piedade da serra edificada perto da aldeia do Sabugo, freguesia de Almargem do Bispo, para completar o "post" de 4 de Abril de 2008.

Nos fins de semana, celebrações  de casamentos continuam aumentado. Não só a beleza, dignidade do templo facilidade de acesssos e estacionamento, paisagem grandiosa abrangendo simultaneamente Serra de Sintra e oceano atlântico; mas também recinto destinado a eventos próximo, podem explicar este facto. Á Senhora da Piedade aflue gente de toda a área da grande Lisboa. Durante muitos anos foi uma "orada", onde acorriam as populações unicamente da região saloia, residentes nos concelhos de Sintra, Loures, Cascais e Mafra.

A devoção a Nossa Senhora da Piedade, genuinamente popular arreigada nas classes mais desfavorecidas. Tal particularidade, explica a concorrida romaria realizada anualmente em Agosto. A feira franca de tempos idos, decorria em conjunto com a festa religiosa.

A situação geográfica, no coração do concelho de Sintra, rodeada pelas freguesias de Rio de Mouro, S. Pedro de Penaferrim, S. Martinho e Santa Maria e S. Miguel contribuia para facilitar a comparência de muita gente.

O local de culto, tem dimensões superiores a capela, no entanto inferiores as de uma igreja; decoração e recheio "sacro" denotam procupação de marcar diferença relativamente, as ermidas circundantes.

As imagens do templo parecem seguir aquele objectivo. A veneranda imagem de Nossa Senhora da Piedade; réplica digna e simples da "Pietá". Talvez obra dum santeiro da região. O conjunto reflecte sentimentos nobres recatados e crédulos das populações que no século XVIII, decidiram construir o templo. Esta obra singular do património religioso sintrense, merece uma visita.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D