Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

PRIMÓRDIOS DO REPUBLICANISMO EM RIO DE MOURO SINTRA

Associamos a influencia de José Cupertino Ribeiro Junior , implantação do ideário republicano em Rio de Mouro, e ao facto nas eleições para junta de paróquia realizadas em 1909,portanto antes da implantação da República, ter vencido naquela localidade o Partido Republicano .

Rio de Mouro na década de 80 do século XIX,foi palco dum conflito religioso  determinante para propaganda republicana.

O reverendo João Joaquim Costa e Almeida, antigo prior de Santa Marinha ,  Vila Nova de Gaia, e em Rio de Mouro, e capelão da Armada ; entrou em conflito com a igreja católica , por discordar da " infalibilidade do Papa",na época reafirmada.

Por esse motivo aderiu a igreja anglicana, a cuja hierarquia passou a obedecer,  contraiu matrimonio, construindo  na propriedade que possuía em Rio de Mouro,uma igreja e escola para crianças de ambos os sexos, com ensino gratuito.

O sucesso foi notável, em pouco tempo, a igreja contava com 500 fiéis, a escola 75 alunos.

Sendo a igreja católica romana,religião oficial do Estado,o reverendo Costa Almeida e a esposa, foram vitimas de perseguições e ameaças.

Temendo consequências gravosas, naturalizaram-se espanhóis,  em Madrid  estava a sede da religião protestante na Península Ibérica e acolheram-se a protecção daquela.

Mesmo assim, depois de expulsos da Igreja Católica,foi passado ao regedor de Rio de Mouro,ordem para proceder a detenção do casal e conduzi-lo ao tribunal de Sintra afim de serem julgados por heresia.

O regedor em face da ordem recebida,informou, sendo o reverendo e a mulher  tão populares, não podia prometer que o cabo de ordens fosse capaz de cumprir o mandato; seria melhor mandar tropa para os prender. 

 Foram enviadas tropas de Lisboa detiveram o casal sendo conduzido a pé até ao tribunal na vila de Sintra no meio de grande aparato.

 Costa Almeida simpatizante do ideal republicano, fez chegar a Lisboa,relato da melindrosa situação , solicitando, advogado para o defender.

Manuel de Arriaga, um dos mais prestigiados advogados da época, mais tarde havia ser o primeiro Presidente da Republica Portuguesa,  amigo dos detidos, dirigiu-se a Sintra onde em tribunal fez brilhante e inatacável defesa que conduziu a libertação dos detidos. regressando a Rio de Mouro foram entusiasticamente aclamados pelo povo.

Manuel de Arriaga passou ser visita frequente do reverendo em Rio de Mouro. O Partido Republicano foi consolidando implantação na freguesia.

A foto da igreja evocação da Santíssima Trindade, existiu na quinta do reverendo e, não sei onde ficava com exactidão . 

O reverendo João Joaquim da Costa Almeida faleceu a 4 de Novembro de 1897.

triunfo.jpg

 

 

 

 

 

IDEARIO REPUBLICANO EM PORTUGAL ANTES DA REVOLUÇÂO 1910 - RIO DE MOURO SINTRA

 

No principio do século XX, em plena monarquia, freguesia de Rio de Mouro no termo da Vila de Sintra,era " assento " de assinalável numero de adeptos do Republicanismo, prova de tal facto  a vitória do Partido Republicano nas eleições para  Junta de Paroquia de 1909.

Não será descabido atribuir aquele acontecimento a influencia de José Cupertino Ribeiro Junior.Proprietário da fábrica de Estamparia de chitas e algodões onde trabalhavam cerca de 90 operários,dono igualmente de extensas propriedades agricolas na localidade,Cupertino Ribeiro membro activo do Partido Republicano, que ajudou reorganizar em 1906,organizando  congresso realizado na cidade do Porto em colaboração entre outros  o seu amigo, António José de Almeida.

A acção de Cupertino na vitória Republicana,foi importante e decisiva,infelizmente ,todos os seus companheiros tiveram o reconhecimento da História.Cupertino Ribeiro, caiu no olvido, vamos trabalhar para resgatar a sua memória.

Ilustramos o texto com noticia relativa ao congresso Republicano do Porto em cuja comissão organizativa figura  nome de Cupertino Ribeiro.

reeepu.jpg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D