Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

O Local do "passadouro" do Rio dos Veados

Em fevereiro de 2011,num "post" inserido neste espaço ,dissertamos acerca do Rio dos Veados,e recordamos um funesto acontecimento ocorrido nos finais do século XVIII,no qual perdeu a vida um "vizinho",quando pretendia atravessar o rio, usando um passadouro existente ,por fatalidade caíu na torrente  perecendo afogado;na ocasião o curso de água,devido as chuvas corria caudaloso.

Pesquisamos nas nossas fontes voltamos ao local ,agora podemos afirmar:no sítio onde o facto decorreu,está actualmente uma ponte construída sobre manilhas, galgável em caso de cheia.A foto foi obtida a jusante,o caminho que podemos observar na direçcão ao lugar da Estribeira,situado a montante,indica ter sido ser aqui, um ponto de passagem do concelho de Sintra para o de Cascais.Na margem direita do Rio dos Veados fica a freguesia de Rio de Mouro (Sintra), na esquerda a freguesia de S.Domingos de Rana(Cascais).

 

 

TOPONIMIA SINTRENSE - GALAMARES

No seguimento do que temos referido em anteriores apontamentos decifrar o significado e origem dos topónimos, é  tarefa que requer, não só estudo mas também a observação do local. Nem sempre esse procedimento é seguido  pelo que as explicações encontradas carecem de fundamento. Assim, atribui-se à lenda ou a outras fantasiosas ocorrências o aparecimento do nome dum sítio, sem preocupação de questionar o facto, vejamos o caso de GALAMARES perto de Sintra.

O Visconde de Juromenha, no seu livro "Cintra Pinturesca" refere: "pretendem que o nome de Gallamares seja vocábulo corrupto de Alaga-Mares por chegar antigamente a maré a este sítio e alagar-se na sua enchente o vale". O  autor escreveu "pretendem", sinal evidente das suas dúvidas. Seguindo a metodologia proposta, a nossa interpretação é a seguinte:

Desde tempos imemoriais em Sintra e no seu termo  abundava   caça, nomeadamente, cervos, uma das antigas  designações para os   veados. Em Portugal, vulgarmente, aqueles eram conhecidos por Corços ou gamos. Os especimes mais pequenos, conforme o Dicionário Houaiss, têm o nome de gamela (pequena corça). Estes animais viviam nos bosques e alimentavam-se nos prados circundantes. Em Sintra habitavam na serra, descendo para varzea de Galamares onde dispunham de pasto e água. A  caça ao corço era feita a cavalo, dificil nas penedias serranas pelo teria de realizar-se em terreno menos acidentado,no sopé da montanha. Ainda de acordo com o livro citado, no foral de Sintra de 1154 aparece o rio Gallomar, o vocábulo galamar deriva de "gamelar", antes da fixação da tradição oral num texto escrito a pronuncia do LÊ e do MÊ por serem identicas modificou algumas  palavras, durante muito tempo simplesmemte "ditas". São conhecidos topónimos relacionados com a abundancia de  animais para caçar: coelhal, raposeira, lebres, vale das porcas, vale de lobos vale das rolas, cerveira, etc. Nos gamolares ou gamelares caçavam-se  gamos e corços. O rio gallomar era o Rio dos Gamos ou dos veados.

No concelho de Sintra encontramos topónimos de origem arabe com o prefixo AL, nesta perspectiva teremos de admitir a possilidade de galamares ser  ALGAMARES isto é o sítio dos gamos. Deste modo Galamares significa local onde  abundam gamelas ou corças ; um gamelar ou melhor os gamelares da vila.

Saudemos o Rio dos Gamos,  deixemos de lado qualquer alagamento, ainda por cima se a água do mar chegasse alii, teria  tornado a terra estéril por causa do sal, felizmente, o solo desta região sempre foi conhecido pela sua fertilidade. 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D