Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo de novo a Ocidente

UM NOVO "AMIGO".

O tempo primaveril, convida a passear pelo campo que na região sintrense nesta altura, apresenta um aspecto de grandiosa e garrida coloração. Árvores cobertas de folhas, parecem reclamar a nossa atenção para a beleza da sua ramaria.

Um destes dias num rincão cheio de evocações históricas, e "senhor " de um coberto vegetal, que lembra a fechada mata de outros tempos, deparamos, uma árvore de grande porte, que nos impressionou. Cresce num recôndito do Casal da Granja, entre os sítios do Telhal e a Serração, afloz de Almargem do Bispo no Município de Sintra.Nesta quinta esteve para ser construída a "cidade do cinema" Foi por acaso que o "descobrimos",cresce no interior da propriedade, numa das extremas, por isso é visível de fora, a sua copa, imponente atinge um diâmetro  perto de 15 metros. 

Trata-se de um carvalho alvarinho, nome científico "Quercus-Robur", apresenta uma "cobertura" larga arredondada e extensa,vegeta em terreno argiloso e húmido,sem qualquer outra vegetação em redor,condições ideais para  alcançar  notável fuste. O tronco inclinado pela acção dos ventos dominantes, serve de suporte a uma "hera" também antiga a julgar pelos grossos caules que abraçam o roble. A longevidade desta espécie pode atingir de 500 a 1000 anos. Encontramos um novo "amigo" certamente duplamente centenário. A partir de agora, iremos visita-lo sempre que possível.Antigo e impressionante e belo.

P4203147.JPG

P4203146.JPG

 

AS ÁRVORES COMO ORIGEM DAS POVOAÇÕES- UM EXEMPLO

A flora tem tido uma grande importância na designação do nome dos sítios, como já referimos em diversos apontamentos. No território sintrense deparamos com um exemplo apropriado para ilustrar o fundamento de que o arvoredo foi também um factor de povoamento. Nos limites das actuais freguesias de Algueirão/ Mem-Martins, Belas e Almargem do Bispo no seguimento do Belas Clube de Campo, existiu há vários séculos um  bosque extenso, uma  MATA como então se dizia .


Essa MATA era formada por milhares de SOBREIROS e CARVALHOS. Para explorar a riqueza florestal os povoadores fundaram junto a ribeira um casal - O CASAL DA MATA, para melhor aproveitarem o arvoredo construíram uma SERRAÇÃO. A ribeira do Casal da Mata corria num fojo de feras abrigados na floresta VALE DE LOBOS. A existência de argila ou barro nas proximidades e de lenha para os fornos possibilitou o fabrico de telha surgindo assim o TELHAL.

A utilização final da serração foi a de serrar pedra porque como era de esperar a exploração intensiva do bosque levou ao seu esgotamento. Restam um pouco adiante da passagem de nível do Telhal uns dispersos espécimes do coberto arbóreo primitivo. Um exemplo mais de com as árvores são presença assídua na paisagem e na memória das nossa VIDAS.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Curiosidades sobre o autor

Comentários - Alvor de Sintra

Quadros para crianças

Sites e Blogs de Interesse

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D